top of page
  • Foto do escritorestarcomunicacao

Marcando início de uma nova fase, Elana Dara retorna com single visceral "Não Consigo Ir Embora"

A faixa estará disponível em todas as plataformas digitais nesta sexta-feira (17), acompanhada de um clipe oficial



O ano de 2023 certamente está sendo singular para Elana Dara. A artista, de 23 anos, que começou na internet postando seus vídeos de voz e violão, vem se destacando no cenário musical como um dos principais nomes que despontam no pop nacional. Não à toa foi escolhida para abrir os shows da banda Coldplay, em São Paulo. Agora, lançando “Não consigo ir embora”, música romântica e inspiradora de sua autoria, ela se consolida no cenário R&B, carimba sua fórmula autêntica, e transita por públicos diversos. O single inédito chega aos tocadores digitais nesta sexta-feira (17), acompanhado de um videoclipe oficial, emocionante. Ouça aqui.


Em “Não consigo ir embora”, Elana toca no fundo da alma, ao cantar a dor de quem, por amar demais, não consegue desistir de uma relação sem amor. Na faixa, a identidade da artista, misturada a melodia envolvente, torna a canção única e totalmente sensível. “Quando o fogo apagou/ Sexo acabou o calor/ Acabou, acabou/ Acabou o amor/ Eu sinto falta e não sei/ Como te tirar da cabeça/ Me perdoa amor/ Eu tento sair fora, mas eu nunca consigo”, canta em um trecho.


A cantora, que já estava colocando em prática seu desejo em reformular a carreira musical, imprime, em suas novas composições, uma mistura de gêneros com elementos da batida eletrônica. “Venho trabalhando para construir algo diferente, com uma estética musical que dialogue com o público. Tenho diversas referências da cultura pop e quero usá-las para ampliar minhas possibilidades. Está sendo muito prazeroso para mim. Espero que seja para o público também”, disse a artista.


Sobre o audiovisual, o diretor Gabriel Zerra, da produtora Lisergia Media, adianta: “O clipe concentra a narrativa em torno da Elana e traz ideia de um filme visceral que tem o lifestyle urbano e a cultura do boombap impressos em todos os seus elementos, como locações, figurinos e objetos cenográficos”.


A ideia da gravadora com o novo projeto da artista foi formar um time de peso com novos talentos. Além de Zerra na direção geral, a Warner, em parceria com a produtora, trouxe Tttize, uma diretora de fotografia que trabalha uma estética muito urbana e moderna. A produção musical contou com nomes como Tuti Carmargo e Pep Starling, além da própria Elana: “Trabalhar com a Elana foi uma experiência de grande enriquecimento e troca entre nós. Durante o processo em que nós estivemos imersos nas pesquisas, nas buscas de referências e na compreensão desse novo momento dela, pude ver a fundo o potencial extenso da compositora e a surpresa deliciosa de descobrir nela uma grande produtora musical”, afirmou Tuti.


Nessa nova fase da carreira, Elana promete imprimir novas experiências. Os fãs da artista vão encontrar uma cantora e compositora que está sempre à procura de algo novo, diferente e cheio de personalidade. As pesquisas para a produção musical passaram por todo o universo da música urbana, pop, independente e underground. E tudo isso é reflexo da versatilidade da artista.


Não consigo ir embora é a porta de entrada para um caminho que tenho explorado dentro da composição e da produção musical. A criação dessa faixa tem um lugar especial pra mim porque foi a primeira obra inicialmente produzida no meu home studio, e todo o esqueleto dela foi feito dentro de casa”, disse Elana.


A produção conta também com o talento de grandes músicos que acrescentaram na complexidade, musicalidade e movimento, com a bateria do Samuca Ovidio e teclados do Herbert Medeiros. “Acredito que simboliza também uma introdução para os caminhos que vou explorar nos próximos trabalhos e no tão sonhado primeiro disco”, concluiu.


4 visualizações0 comentário

Comments


bottom of page